Auditores paralisam atividades por 48 horas a partir desta terça-feira

Reta decisiva. Assim deve ser encarado o momento atual no que se refere à Campanha Salarial 2012. Depois de muito postergar, o Governo apresentou uma proposta de reajuste muito inferior ao necessário para corrigir as perdas acumuladas nos últimos anos. Os Auditores-Fiscais e várias carreiras do serviço público já rejeitaram a proposta apresentada pelo Executivo e esperam que, a partir de um diálogo efetivo, possa se chegar a um índice mais justo.

Portanto, na terça e na quarta-feira (28 e 29/8), os Auditores-Fiscais devem dar nova demonstração de unidade paralisando as atividades por 48 horas nas unidades da RFB (Receita Federal do Brasil) na zona secundária. Vale lembrar que a manifestação deve ser feita fora da repartição, sem assinatura de ponto, respeitando apenas a exigência legal de se manter 30% dos serviços. Na zona primária, deve ser mantida a operação-padrão.

A paralisação de 48 horas será o alerta decisivo para o Governo e tem como objetivo reforçar que será bem mais fácil para o Executivo apresentar uma proposta de reajuste que corrija as perdas inflacionárias, numa demonstração de valorização da Classe. Já que caso um acordo não seja firmado até o dia 31 de agosto, a fim de se respeitar o prazo exigido pela LOA (Lei Orçamentária Anual), os Auditores-Fiscais continuarão mobilizados por tempo indeterminado, e os reflexos disso poderão trazer consequências para a economia do país.

Enquanto o Governo avalia o caminho a seguir, a Classe deve demonstrar seu poder de pressão. Às DS (Delegacias Sindicais) cabe articular a mobilização e encaminhar o relato das manifestações e o registro fotográfico para jornalismo@sindifisconacional.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. . O “não” à proposta proferido na Assembleia Nacional deve ecoar por todo o país.

 

Fonte: SINDIFISCO NACIONAL

Voltar